20061106

A história da borboleta

Esta história é figurinha conhecida, mas não me custa nada repeti-la:
"Um dia, uma pequena abertura apareceu em um casulo. Um homem sentou-se e passou a observar a borboleta que, por várias horas, se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco. Então, em certo momento, pareceu que ela parou de fazer qualquer progresso, parecia que ela tinha ido o mais longe que podia e não conseguia mais continuar nessa sua missão de deixar o seu casulo.
Então o homem deciciu ajudar a borboleta. Ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta então saiu facilmente, mas seu corpo estava murcho, era pequeno e tinha as asas amassadas, atrofiadas. O homem então continuou a observar porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo, que iria se afirmar a tempo. Nada aconteceu. Na verdade, a borboleta passou o resto de seus dias rastejando com um corpo murcho e as asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar. O que o homem, em sua gentileza, em sua vontade de ajudar, não compreendia, era que o casulo apertado e o esforço necessário para a borboleta passar através de sua pequena abertura, era o modo com que a natureza agia para que o fluido do corpo da borboleta fosse para as suas asas, de modo que ela estaria pronta para voar, uma vez que estivesse livre do casulo."
Moral: algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossas vidas. Se Deus nos permitisse passar através dela sem quaisquer obstáculos, Ele nos deixaria aleijados. Nós não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido. Nós nunca poderíamos voar!

3 Comments:

Anonymous Ordisi said...

Ouvindo seu conselho, digo-lhe que já estou matriculado na academia.

E que não agüento mais feriados, pô!

Abraço.

12:34 PM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Verdade querido Álvaro, tem pessoas que adoram que tracem seus caminhos, que comandem suas vidas, que lhes digam como fazer e assim vão vivendo sem nenhum esforço mas também sem o menor conhecimento de vida, tudo de mão beijada, fácil demais.
Adoro voar nos meus sonhos, nas minhas realizações, nas minhas fantasias e nos meus tropeços pois a cada levantada me sinto poderosa, eu X eu.
Sonia faz muito bem em cuidar de seu jardim como mãe zelosa que é, não importa que caia a chuva a primeira agüada é que conta, rss
lindo dia querido
beijossssssssssss

1:02 PM  
Blogger Nilza said...

olá, Alvaro!

Conheço sim , mas sempre gosto de reler é uma linda lição de vida... Entendo que cada um tenha seu espaço, seu caminho, sua hora, sua forma de conduzir a vida.

beijos

9:25 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home