20060412

Sobre a essência do budismo

Eu vim a saber a verdadeira essência do budismo simultaneamente através da leitura de duas publicações diferentes: a primeira, pela revista “Meditação” (nº 30), nas palavras do Dalai Lama (...); e a segunda pelo livro “a Tigela e o Bastão” (Ed. Pensamento), uma coletânea de 120 contos zen narrados pelo mestre Taisen Deshimaru, que o mestre Manoel me emprestou, e ela está contida no conto “Zazen sobre o pinheiro pára-sol”, que é o seguinte:

Na China, havia um monge zen, chamado mestre Dori, que, por fazer zazen empoleirado num pinheiro pára-sol, fora alcunhado de mestre Ninho de Passarinho. Um poeta muito célebre, Sakuraten, foi visitá-lo e, ao vê-lo fazer zazen, disse-lhe: ‘Tomai cuidado, que isso é perigoso; podereis, um dia, cair do pinheiro.’ De maneira nenhuma, respondeu mestre Dori: ‘Vós é que correis perigo. Aqui e agora faço zazen, meu espírito está completamente fixado. Vós não fazeis zazen nenhum e estais sempre transbordando de paixões. Escreveis poemas e vosso espírito vive em constante movimento, sensível, ansioso, atormentado.’ Sakuraten refletiu, depois disse: ‘Com efeito, vivo dominado por paixões; é como brincar com o raio.’ E, depois, perguntou ao mestre zen: ‘Qual é a verdadeira essência do budismo?’ Mestre Dori respondeu: ‘Não façais o mal, praticai somente o bem. Praticar o bem é muito simples. É a essência do budismo.’ O poeta sorriu e disse: 'Todo mundo pode compreender isso. Até mesmo um bebê'.

Os prezados leitores devem estar curiosos. A essência do budismo vocês agora já sabem o que é, não é mesmo! Mas, também agora, deduzo que estarão a imaginar o que será zazen. Então vai lá: os orientais chamam de zazen a meditação noturna para a morte do ego. Já zen é meditação diurna, em movimento (ou, simplesmente, a morte do ego em marcha!).

O curioso nisso tudo é que, mesmo sem saber - e com ou sem zazen! - o meu saudoso pai demonstrou ser em vida um budista nato. Fazer isso - praticar somente o bem! - nele estava intrínseco e era explícito. Também soube transmitir essa filosofia de vida aos seus filhos. Disso tudo posso reflexionar que “conhecer é importante, mas compreender é essencial”, e compreender o que até mesmo um bebê pode fazer, deve ser, sem nenhuma dúvida, o melhor dos conhecimentos! Isso não é mesmo maravilhoso?
E por falar nisso já é sabido que o 14° Dalai Lama (Denzin Giatso) estará, em breve, fazendo uma visita ao Brasil. Ele é uma personalidade muito importante no mundo, pois, assim como Sai Baba, Gurumayi, e muitos outros mestres espirituais vivos, apesar de pregarem suas doutrinas religiosas próprias, todos tem em comum o ecumenismo.

4 Comments:

Anonymous DO said...

Sabe ALVARO,o budismo é algo que tenho muito interesse em conhecer. Mais do que curioso,sinto que teria muito o que aprender.
Grande abraço!

12:22 PM  
Anonymous Ordisi Raluz said...

A "idéia" essêncial das religiões é fazer o "bem", óbvio. Pena que os homens que delas se apossam acabam por esquecer disso, acorrentando-se cegamente aos dogmas.

9:39 AM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Tanto ainda a aprender,tanto para fazer...
Mais uma vez te agradeço por essa informação.
Feliz Páscoa meu querido, junto aos que ama.
beijossssssssssssss

6:52 PM  
Anonymous Dra. Daniela Mann said...

Olá,
Desta vez passei para desejar uma Páscoa muito feliz!
Um abraço amigo,
Daniela Mann

5:19 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home