20051121

O Saci

No Natal de 1997, a pedido da saudosa Vovó Clarice, o Papai Noel trouxe para o meu filho Gary Míchkim uma coleção completa dos livros infantis do Monteiro Lobato. Naquela ocasião, quando ainda estava com apenas sete anos, eu passei a ler para ele, antes de dormir, as histórias do “Sítio do Pica-Pau Amarelo”. Eis abaixo como foi um desses momentos de então:
- Bobby, meu filho- eu lhe disse - já despachamos “Reinações de Narizinho” e “Viagem ao Céu”, hoje iniciaremos “O Saci”.
- Mas pai- ele respondeu - antes de começarmos o saci você precisa me dizer o que é um saci. Não adianta você ficar me contando histórias de coisas que eu não conheço porque não vou entender nada e dai não vou mais conseguir dormir direito, sendo que amanhã terei que acordar cedo e bem disposto para ir à escola.
Apesar de ser, na época, um pai principiante em contar histórias para o filho antes dele dormir, já estava me acostumando a esse tipo de coisa. Nesse dia, não deixei a peteca cair e continuei:
- Calma Bobby, que eu chego lá. Ainda estamos no título da história, mas já que você está impaciente para saber o que é um saci, eu lhe direi: O saci é um diabinho negro de uma perna só que anda solto pelo mundo, armando reinações de toda sorte e atropelando quanta criança existe. Traz sempre à boca um pitinho aceso, e na cabeça uma carapuça vermelha A força dele está na carapuça. Quem consegue tomar e esconder a carapuça de um saci fica por toda a vida senhor de um pequeno escravo.
- Mas que reinações ele faz? - indagou.
- Quantas pode: azeda o leite, quebra a ponta das agulhas, esconde as tesourinhas de unha, embaraça os novelos de linha, some com o dedal das costureiras, bota moscas na sopa, queima a comida que está cozinhando na panela. Quando encontra um prego, vira ele de ponta para cima para que espete o pé do primeiro que passar. Tudo de ruim que acontece numa casa é arte do saci. Também atormenta os cachorros, atropela as galinhas, gora seus ovos, persegue os cavalos no pasto e puxa as tetas das vacas. O saci não faz maldade grande, mas não há maldade pequena que ele não faça.
Mal finalizado o primeiro capítulo, perguntei-lhe:
- Está ouvindo, Bobby filho? ....
-Thiago?
Ele dormiu. E como estampasse na face um leve sorriso, pensei comigo: coitado do saci, meu filho já escondeu-lhe a carapuça! A cuca, o lobisomem, a caipora, a mula-sem-cabeça, e os demais, ficaram pra depois, pois Bobby Pai também ficou com sono, senão....

2 Comments:

Blogger Micha Descontrolada said...

Bobby pai e Bobby filho...eu adorava esse desenho..obrigada por me fazer lembrar..ahhhehehe

meu pai tb lia estórias antes da gente dormir (eu e meus irmãos) e era bom demais.

----|//
---( @@ )
ooO_(_)_Ooo___________
___|___|___|___|___|__
_|___|___|___|___|___|
|__tem tema pra post__|
_|__comunitário no ar___|
___|___|___|___|___|__
_|___|beijoss|___|

Uma ótima semana.

10:58 AM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

meu querido!!
que delicia de lembranças e carinho entre vcs,lindo!!
agradeço suas palavras de conforto lá no meu cantinho,fiz um texto/homenagem aos amigos queridos,vc está dentro,rss..
lindo dia!
beijossssssssssss

6:54 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home