20051110

Sobre o "Buk"

Henry Charles Bukóvski Jr, esse é seu nome! O nome do autor que marcou a minha vida, pois foi lendo este livro de Bukóvski (Ereções, Ejaculações, Exibicionismos e outras sórdidas histórias) que eu descobri que também poderia um dia vir a ser um escritor, principalmente, de contos, crônicas e poesias... Inspirado pelos textos de Bukóvski, muitos dos quais estão inseridos neste livro, que, no conjunto de sua obra, também foi um de seus maiores sucessos editoriais, e também eu, relatando satiricamente a dança do prazer e do amargor de minhas andanças cotidianas de então, na flor de meus 28 anos bem vividos, que comecei a escrever a minha história.

Hoje, já quase cinquëntão, sempre que ouço falar do Buk ou mesmo quando leio algo assim mais informal sobre ele, fico refletindo sobre aqueles meus também assim nem tão velhos tempos, de passatempos desvairados, etílicos, espelhados nesse velho mestre de histórias safadas...

E quando isso me ocorre, pensamentos, devaneios, reminiscências vêm e vão; afloram em minha mente velhas lembranças desses textos lidos, sugados, espremidos de um limão, sobre aquele lirismo ácido de LA, comungados pelos contos do saudoso Buk, que me reforçam ainda nos dias de hoje um ímpeto súbito em correr ir procurar os seus livros, espalhados que estão por vários lugares e cantos, certamente escondidos por teias de aranha, para reler seus contos, crônicas, poesias.... e, assim, momentaneamente respirar novamente aquela minha inocente rebeldia das décadas de 70 e 80.

E uma vontade louca de correr na locadora procurar o filme Crônica de um Amor Louco, com Bem Gajarra e Ornela Mutti, que certamente não mais acharei; quem sabe talvez Bar Fly, com Mike Rourke e Mia Farrow, que concorreu em Cannes na década de 90... No caminho, parar para um chopp geladinho, rir e chorar, um pouco de cada coisa, curtir uma forte emoção e rabiscar alguns versos num guardanapo de papel.

Assim foi a minha reação quando literariamente conheci Bukóvski; e através de todos os seus múltiplos arquétipos contidos em sua vasta obra – identificada mais com Henry Chinaski – sempre moderna, atual, romântica, satírica, cheia de seus rompantes poéticos e etílicos de uma outra época, quando ele escreveu seus livros de contos, crônicas, poesias...

Quem o ler – jovem, adulto ou ancião – terá motivos para muitas reflexões e comparações, pois verá que o nosso mundo atual, quase meio século após, não é assim tão diferente... Se você estiver curioso, não vacile... viaje um pouco nas páginas e mais páginas do livro da vida de Bukóvski e depois tire a sua própria conclusão!

1 Comments:

Anonymous Márcia(clarinha) said...

que viagem fantástica a um tempo tão bom que deixou marcas profundas,idéias e ideais não morrem,amadurecem...
lindo dia meu querido!!
beijosssssssss
*os peixinhos responderam:
Quem tem amor tem coragem!
**viu o versinho que fez pra mim correndo no lado direito do meu blog?rsss

6:32 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home