20060802

Sonhos

Não sei se sonho, mas sonhando ou não lembrando, vivo muito em devaneios...

Engraçado que ontem a noite, certamente depois das 03h45 - apesar do frio, acordei para tirar água do joelho... - eu sonhei. Me lembrei disso porque hoje de manhã, após levar o Bobby à escola, eu fui ao urologista. Depois daquele curso que fiz no final de semana, quando fiquei dois dias sentado quatro horas pela manhã e cinco à tarde, e mais as sete horas que foram acrescidas à noite, deitado em cama dura..., meu rin não agüentou e pediu água. Algum cálculo incrustado, sossegado, com certeza acordou e também despertou aquela dor e queimação que muitos já conhecem! Então, marquei e fui, logo as 07h30. Ele me pediu exame de sangue, urina e raio-X. Fui fazer em seguida. Quando estava coletando a amostra da urina me lembrei do sonho. Era algo sobre eu ter ido com um médico à paisana especialista naqueles sintomas que estava tendo, num fuscão, à um outro lugar onde eu faria um exame para identificar e resolver o problema. O outro "profissional" me pareceu muito estranho. Era baixinho, gordo e barba por fazer. Em volta haviam algumas pessoas praticando terapia. Havia um mulher no meio de um tubo de água que girava em volta dela. Ela parecia estar contente com aquilo tudo. Ele conversou comigo sobre algumas coisas, disse que já sabia o que eu tinha. Só iria comprovar fazendo um exame clínico com algo que ele coletou ou percebeu em mim. Não identifiquei direito pois justamente nessa hora, justamente quando iria resolver o meu martírio, uma sirene tocou forte. TUIM-TUIM-TUIM...; Acordei, olhei no visor do rádio-relógio: 06h00; hora de levantar, tomar banho apesar do frio; preparar o lanche do Bobby; acordá-lo de cinco em cinco minutos; idem para ele sair do banheiro; e depois ir. Amanhã cedo eu vou repetir a dose com o Bobby Filho, depois pegar os resultados dos exames e retornar no uro. Espero que seja cálculo mesmo, pois já conheço o tratamento. Se não der nada acho que vou ter que sonhar novamente e voltar lá naquela clínica estranha para continuar aquele exame. De uma forma ou de outra anseio me curar, mas uma coisa me intriga: será que irei lembrar?
Hoje de manhã, depois que fiz isso tudo, voltei para casa, deixei o carro para minha esposa e fui pegar o circular até o centro da cidade. Fiz isso mais aquilo, aqui e acolá; e como sou "rato de sebo", depois eu passei por lá. Comprei por R$ 8,00 um livro semi-novo, cuja edição teve apenas 1500 exemplares. Seu título: Loucura e Transcendência - Da ignorância à Luz, da Vera Péres (Massao Ohno Editor, São Paulo). Neste exato momento abri ao acaso, quase em seu final (páginas 124/127) e na 127 estou lendo agora uma citação de Medard Boss, Na noite passada eu sonhei.
Assim diz esse trecho: Chung Tsé escreveu: "Eu, Chuang Tsé, certa vez sonhei que era uma borboleta, voando de um lado para o outro com os objetivos e motivações de uma borboleta. Eu só sabia que, como uma borboleta, estava seguindo os meus destinos de borboleta; não havia consciência de minha natureza humana. De repente acordei, e ali estava eu, 'eu mesmo' outra vez. Agora me resta a dúvida; era eu um homem que sonhou ser borboleta, ou sou agora uma borboleta que é homem?".
Agora também pude perceber que a autora remete esses ensinamentos e citações acima aos textos de Léo Matos, que quando ler o livro por inteiro vou descobrir quem é (deve ser alguém famoso, pois é citado na Bibliografia como autor de várias obras em Psicologia Tibetana Budista e Psicologia Transpessoal). Minha intuição me diz que fiz uma boa compra. Agora só falta degustar esse queijo!
O rato é um bicho asqueroso, perigoso, nocivo! A borboleta é como uma flor multicolorida que voa. Será que alguém se lembra dela quando é também asquerosa, como lagarta?...; meu saudoso pai nem passava em baixo de pé-de-bacaúva por ter medo de mandorová...; folha de palmeira é "batata", não tem ninho de barata, mas tem ninho de lagarta(!); rato ele exterminava a pau, mas de lagarta ele passava longe...; acho que mesmo sem saber ele tinha inata a sabedoria da metamorfose desse bicho (transformação do feio em lindo!...).
Pronto, fechei o livro. Sua capa foi muito bem produzida. Papel de ótima qualidade, e igual encadernação. Conteúdo que nem se fala. Só eu, agora, estou no angustiante dilema: vou ou não voltar àquele meu sonho? E se voltar, irei me lembrar? Agora mesmo vou separar uma caneta e caderneta, pois meu criado é mudo!...

3 Comments:

Anonymous Márcia(clarinha) said...

6:00h da manhã com esse frio? Pobre Bobby Pai e Filho, bem faz a Sônia que fica no calor do edredon,rssssss
Que o sonho continue e funcione como um tratamento espiritual, não há de ser nada em seu rim.
Tenho pavor de ratos e só de imaginá-los perto me dá angustia, quanto às lagartas nem tão simpáticas são, mas sabendo em que se transformarão até que as vejo bonitinhas,rssss.
Boa leitura e que suas dúvidas sejam esclarecidas.
Já que seu criado é mudo não atrapalhará seu sono.
Linda noite e feliz dia meu querido
beijossssssssssss

7:30 PM  
Anonymous Ordisi said...

Esse seu post é denso como uma pedreira para comentar. Não me atreverei. Apenas desejarei que o problema no rim seja mínimo e que os seus sonhos sempre sejam bons. Com ou sem significado oculto.

Abraços.

9:31 AM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Hoje sonhará, eu sei....[dando uma de vidente,rsss]
beijossssssssss

2:05 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home