20051107

Sobre o Amor

"Muitas pessoas se dizem carentes de amor, de carinho, de afeto, de uma boa notícia, de uma relação desinteressada...; Elas até observam o amor em atitudes filantrópicas e beneméritas...; Também dizem que o amor existe através da relação pais e filhos, marido e mulher...; Assim, fazem do amor um ato isolado, sujeito a grandes desilusões.
Atualmente as pessoas estão valorizando os seus corpos e a sua qualidade de vida. Estão tornando-se freqüentadoras de academias de ginástica, clínicas de estética, centros de terapia, melhorando a alimentação e fazendo dietas. Com isso, estão esculpindo o corpo e trabalhando a mente para poderem conquistar o seu espaço no mundo.
Os meios de comunicação social valorizam o homem pela sua aparência, beleza, fama e poder econômico, visto que estes são aspectos relevantes do homem atual. Muitos tem dinheiro, carro do ano, privilégio..; mas, apesar de seus esforços para estar na moda, ao final de suas jornadas, são pessoas que sentem apenas um grande vazio interior.
O amor e o materialismo são duas vertentes totalmente antagônicas. Nas atuais relações humanas, o indivíduo é estimulado a ter para assim ser; o sentimento de posse prevalece; tem que ter um bonito corpo, ter dinheiro, ter fama, ter e ter, a fim de ser aceito. Este é o protótipo de homem que a sociedade quer.
Nos embates diários a humanidade gasta suas energias e muitas vezes não consegue repô-las. Não há nada que o homem tenha criado. Ele simplesmente transforma e utiliza aquilo que já existe. A energia que move o mundo é a energia do amor. Existe um princípio inteligente em tudo. O ‘acaso’ não existe, pois ele não opera no Universo.
O Sol é um exemplo vivo disto. Ele atravessa anos, séculos e milênios, regando o nosso planeta com seus raios e nos felicitando com sua beleza. Isto é amor. E o que ele nos pede em troca? Nada! Assim são as Estrelas, a Lua, o Orvalho, a Chuva e todas as coisas que a natureza nos propicia. Sendo assim, respiramos amor.
A energia do amor é parte de tudo, mas o ser humano não a sente porque ele é orgulhoso e egoísta, passando a maior parte de sua vida preocupado com a questão do ter. Para sermos verdadeiros, independente de termos ou não alguma coisa, temos que aprender a vencer o orgulho e despertar dentro de nós a centelha divina do amor. Aí então poderemos nos valorizar como seres humanos, pois seremos filhos do amor.
Assim, como já fazemos com os nossos corpos, devemos centralizar o foco de nossas consciências no amor e, quem sabe desta forma, possamos nos libertar um pouco mais do nosso egoísmo, para aproximarmos mais da questão do ser. A Fé, a ESPERANÇA e o AMOR permanecem, mas entre elas, a mais excelente é o AMOR.”


Obs: Síntese do texto: Agenda do Amor, Editora Escala.

2 Comments:

Blogger Micha Descontrolada said...

gostei do texto..nunca tinha olhado por esse ponto de vista...

....................§°°°°§
.................§°/.o o.\\°§
.................§(..\\__/..)§.....Tem tema
.................§.\\____/.§....pra post
..............~@__/\\/\\__@~ comunitário
...................../____\\.......no ar
.....................\\____/.....
....................(__||__). beijossssssss

hoje tb posto no http://miscelaniasa.blogspot.com

9:35 AM  
Blogger Márcia said...

o que deveria ser tão simples,o ato de amar,se tornou um desafio..
desejo que volte a simplicidade que se ame simplesmente,com o coração somente,nada de medir fortunas ou aparencias,amor e ponto final!!!
linda semana meu querido!!
beijosssssssssssssss
Márcia(clarinha)

6:28 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home