20070425

A senhora chorona

Num conto Zen, havia uma senhora idosa que chorava o tempo todo. Sua filha mais velha era casada com um comerciante de guarda-chuvas, enquanto a filha mais jovem era esposa de um vendedor de macarrão.
Nos dias ensolarados, a velha senhora preocupava-se: “Oh, não! O clima está tão agradável e ensolarado. Ninguém vai comprar guarda-chuvas. Se ele continuar assim a loja de minha filha poderá fechar!” Tais preocupações a entristeciam e simplesmente não conseguia parar de chorar.
Quando chovia, por outro lado, também lamuriava, pensando: “Oh, não! Minha filha mais nova é casada com um produtor de macarrão. Não é possível secá-lo sem sol e não haverá macarrão para vender. O que eles farão se essa chuva não parar?”.
Assim, essa velha senhora vivia todos os seus dias em conflito. Se o dia fazia sol ou chuva, ela lamentava-se por uma de suas filhas. Seus vizinhos a apelidaram de “senhora chorona”.
Um dia, conheceu um monge, que sentiu muita curiosidade sobre o motivo de suas lágrimas. A velha explicou-lhe seu dilema e, sorrindo ternamente, o monge disse: “Senhora, não é necessário se preocupar mais! Eu lhe mostrarei o caminho para a felicidade e nunca mias precisará se lamentar”.
Curiosa, então a senhora pediu para que o monge lhe mostrasse o que fazer. Ele respondeu: “É muito simples. A senhora apenas precisa mudar a perspectiva de seu ponto de vista. Nos dias ensolarados não pense que sua filha mais velha não venderá guarda-chuvas, mas sim que a filha mais jovem secará e venderá o macarrão. Através da luz do sol ela será capaz de produzir grandes quantidades de macarrão e suas vendas serão excelentes. Em dias de chuva, por outro lado, pense na loja de guarda-chuvas de sua filha mais velha. Com a chuva, todos comprarão guarda-chuvas. Ela os venderá em grande quantidade e sua loja prosperará".
A velha senhora enxergou a luz. Seguiu a instrução do monge e, após algum tempo, não mais chorou. Ao contrário, sorria todos os dias e, a partir de então, passou a ser conhecida como a “senhora sorridente”.
Tal qual é aquela história do copo com líquido até sua metade. Uns o vêem metade vazio e outros metade cheio. Quando temos preocupações e problemas, se formos capazes de transformar de forma positiva a nossa primeira impressão, então seremos capazes de transformar as preocupações e os problemas, em felicidade e fortuna, e com isso transformaremos a tolice em sabedoria e a ignorância em iluminação.

Fonte: texto retirado do livro “Ch´an Tao, Essência da Meditação” (Ed. Plexus)

Labels:

7 Comments:

Blogger Ordisi Raluz said...

Ôôô, Gafanhoto! Não sabia que o princípio fundamental do "meu" Gerador de Certeza era coisa Zen. Fiquei empolgado agora, pô! Abraços Zen Incertezas.

6:16 PM  
Blogger Kah said...

Lindo conto moço!!Eu sou da tais prá quem o copo tá sempre meio cheio, otimista por natureza.Um beijo e linda sexta-feira!!!

8:20 PM  
Blogger Pedro Paulo Pan said...

, olha só como mudar a perspectiva de nossos olhares, muda também um mundo...
, abraços meus.

5:48 AM  
Anonymous Kaline said...

Para você ver como tudo depende do ponto de vista de cada um, muita das vezes deixamos de contemplar as coisas boas da vida, para olhar as coisas ruim. Bela escolha de texto. Tenhas um ótimo dia. Ahh... a respeito do comentário que me deixaste, não me lembrei da piada =D Um abraço.

10:51 AM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Que belo conto meu querido,vou olhar sob outro ponto de vista pra vida e suas nuances.
Lindo dia
beijosssssssssss
*tudo bem por aí? tomara sim...

9:41 AM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Oxê! De tanto bem que falou por lá senti falta do meu bem que me chama de bem também, rsss
Nem me fala de mal de coluna, eu morro de pressão na nuca,fica dormente mas nem dou bola pra ela, disfarço e vou vivendo muito bem, rsss
A vista da minha casa: Lagoa de Marapendi e o mar da Barra da Tijuca, a pedra ao fundo é a da Gávea e as ilhas esqueci os nomes,rss, a foto ficou sem nitidez pois tirei com a web cam.
Melhoras meu querido, se cuida,tá?e por favor, nada de deprelele não combina com você.
beijossssssssss

3:12 PM  
Blogger Ordisi Raluz said...

Não é colateral não gafanhoto. É frontal mesmo e sem indução eletromagnética. Algo mais a ver com química, provavelmente.

Abraços vislumbrados.

6:02 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home