20051101

Sobre a Macrobiótica, uma Filosofia de Vida

A presente dissertação tem como base a doutrina da “Macrobiótica” pregada por George Ohsawa, em seu livro “Macrobiótica Zen - A Arte da Longevidade e do Rejuvenescimento”. O termo macrobiótica vem do grego: macro (grande) e bios (vida), ou seja, a técnica de longa vida.
Segundo ele, todas as grandes religiões nasceram no Oriente e, portanto, dele emana a luz. Graças a elas os povos orientais viveram em paz durante milhares de anos. Porém, tudo muda neste nosso mundo flutuante, efêmero e relativo em que vivemos. Os países da Ásia, África e América foram colonizados pela civilização ocidental e, assim, forçosamente abandonaram seus próprios costumes, culturas e tradições. Essa nova civilização importada tornou-se cada vez mais poderosa, as guerras mais cruéis e, hoje, em sua conseqüência, o mecanicismo cartesiano é a nova religião do homem. Assim, antagonicamente, de forma alguma a velha civilização oriental, da saúde, da liberdade, da felicidade e da paz, pode coadunar com a nova civilização científica e metódica do Ocidente.
Ohsawa diz: “Se vos decidirdes a estudar e a aplicar o princípio macrobiótico, uma filosofia de vida de mais de cinco milênios, a fim de sentirdes liberdade infinita, felicidade eterna e justiça absoluta, procuras compreender que isso somente poderá ser possível por vós mesmos, como fazem os pássaros, os insetos, os peixes e todos os animais. Antes de tudo procurais debelar vossa doença, conhecer sua natureza e suas causas. Se estiverdes somente interessados no desaparecimento dos sintomas, das dificuldades e da dor, esqueça portanto de aplicar em si próprio o princípio macrobiótico”. Para Ohsawa, a filosofia da medicina do Extremo oriente é auto-suficiente e, com ela, não há necessidade de qualquer outro ensinamento, pois dentro dele já está o princípio único da cura, e, em sua conseqüência, da plena saúde.
Segundo Ohsawa, “a felicidade é, neste nosso mundo, o objetivo de cada um de nós” e, para ele, no Oriente, ela foi definida pelos sábios como: (1) Alegria de viver, resultante de uma longevidade saudável, dinâmica e interessada; (2) Libertação da preocupação com respeito às posses e ao dinheiro; (3) Capacidade instintiva de evitar acidentes e dificuldades que possam nos conduzir a uma morte prematura; (4) Compreender, com amor, a ordem que governa o Universo Infinito; e, (5) Não sentir o desejo de ser o primeiro, por saber, intrínseca e naturalmente, que os últimos se tornarão para sempre os primeiros, pois, em nosso mundo, tudo muda, tudo se altera, nos negócios, na política, nas ciências, no matrimônio, e na vida. Assim, o que hoje é o ápice da onda e dos costumes, amanhã se tornará ocioso, inútil, e, portanto, dentro deste princípio, o homem humilde é aquele que não teme ser o último, pois já possui dentro de si esse conhecimento que é a essência da felicidade.

Toda a filosofia oriental consiste no ensinamento prático de como alcançar tal felicidade. É uma filosofia biológica, fisiológica, social, econômica e lógica. Segundo ela a felicidade pode ser alcançada por nós e para nós mesmos. Não existem tratados teóricos, mas somente práticos. A educação escolar é considerada como completamente desnecessária. Todos os grandes homens se fizeram por si mesmos e toda a educação profissional é considerada escravizante e, essa mentalidade, é a causa de toda infelicidade.
Explicar a filosofia Yin-Yang da felicidade, o conceito do discernimento supremo e a chave do Reino dos Céus, como pregaram Lao-Tsé, Song-Tsé, Buda e tantos outros, é, para Oshawa, desnecessário. Para ele a compreensão intelectual dessa filosofia será inútil se não for acompanhada de uma vivência diária cada vez mais intensa e feliz, pois não podemos aprender a dominar a maneira maravilhosa e aerodinâmica de nadar dos peixes, sem primeiramente entrar dentro d’água.
Quanto a isto ele acrescenta: “o caminho do estudo filosófico, intelectual, conceitual e teórico é longo, difícil, enfadonho, infrutífero e interminável”. E conclui: “esta filosofia denominada ‘ Princípio Único’ é a prática, uma disciplina de vida que qualquer um pode seguir com grande prazer, quando e onde quiser. Ela restabelece tanto a saúde como a harmonia da mente, da alma e do corpo, condição indispensável para uma vida plena e feliz.”

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home