20090804

Tamanho não é documento!

O Mestre pergunta para seu discípulo predileto:
- Gafanhoto, se alguém lhe xingar como você reagirá?
- Depende das coisas, Mestre! - responde o discípulo.
- E quais são elas Gafanhoto? - indaga o Mestre.
- São duas, Mestre - diz o Gafanhoto:
- A primeira é ver se o cara é muito grande!
- E se ele for! - indaga o Mestre.
- Daí depende da segunda! - diz o discípulo.
- Como assim? - retruca o Mestre.
- A segunda - afirma o discípulo - é se estou armado ou não!?
- E daí, Gafanhoto? - pergunta o Mestre.
- Daí - como diz o ditado! - tamanho não é mais documento!

Labels:

8 Comments:

Blogger Madrecita said...

tamanho nunca foi documento..velocidade sim! hehehehehe aliás busca espiritual é algo bem interessante....estou mais na busca do que sou quando meu espirito em contato com minha materia se chama ser humano e ai sim quero saber quem sou....doida pra ir a santiago de compostela , mas tenho que esperar pois como vc tenho filhos...como eu disse no plural isso significa 3...afff mas um dia chego lá no caminho real com minha marca de peregrina da humanidade,pois meu espirito já entreguei nas mõs de Deus...quero saber oque faço do meu corpo heheheh abçs

11:00 AM  
Blogger Madrecita said...

baby consuelo? paulo coelho? afff nem pensar, esses caras estão completamente perdidos, corpo e alma em lugares diferentes estão perdidos por isso se enganam caminhando em compostela....como eu já disse quero encontrar meucorpo, minha alma já achei! ri ri ri (como vc mesmo ri).
valew a visita...vc tem algo a ver com o tertulia?

1:47 PM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Tamanho não é documento nem com firma reconhecida, o cara é grande mas "não é dois" rsss.

Tá vivo meu amigo Álvaro, ueba!!

Carinho em todos da família com destaque pro Bobby Filho.

lindos dias
beijos

2:16 PM  
Blogger Mary Poppins said...

Dizem que guardam bom lugar pra mim no céu
Logo que eu for pro beleléu.
A minha vida só eu sei como guiar
Pois ninguém vai me ouvir se eu chorar.
Mas enquanto o sol puder arder
Não vou querer meus olhos escurecer

Pois se eles querem meu sangue
Verão o meu sangue só no fim.
E se eles querem meu corpo
Só se eu estiver morto, só assim.

Meus inimigos tentam sempre me ver mal,
Mas minha força é como o fogo do Sol.
Pois quando pensam que eu já estou vencido
É que meu ódio não conhece o perigo.
Mas enquanto o Sol puder brilhar
Eu vou querer a minha chance de olhar.

Pois se eles querem meu sangue
Verão o meu sangue só no fim.
E se eles querem meu corpo
Só se eu estiver morto, só assim.

E eu vou lutar pra ter as coisas que eu desejo.
Não sei do medo, amor, pra mim não tem preço
Serei mais livre quando não for mais que osso,
Do que vivendo com a corda no pescoço.
Mas enquanto o Sol no céu estiver
Eu vou fechar meus olhos quando quiser.

Pois se eles querem meu sangue
Verão o meu sangue só no fim.
E se eles querem meu corpo
Só se eu estiver morto, só assim.

3:31 PM  
Anonymous Anonymous said...

Hehehe...

Gafanhoto, qualquer Mestre digno do nome curva-se à sua sabedoria.

Imagine então a do filhote cobra...

Os grilos que se cuidem.

GRANDES abrs.

8:24 AM  
Anonymous Anonymous said...

Cadê você

Tudo bem?

Abrs.

9:01 AM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Álvaroooooooooooooooooooooooooooo?!
Saudades
beijos

3:50 PM  
Anonymous Cibele said...

Cadê você?
Porquê não voltas?
Todos sentem saudades...
É tão bom escrever.
Abraços

11:41 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home