20081031

A história da ratoeira



Esta história é usada em reuniões sobre "Trabalho em Equipe" na MERCER HUMAN RESOURCES, uma das maiores do mundo na área de RH.
"RATOEIRA
Um rato, olhando pelo buraco na parede, vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Pensou logo no tipo de comida que poderia haver ali. Ao descobrir que era uma ratoeira ficou aterrorizado. Correu ao pátio da fazenda advertindo a todos:
- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa!
A galinha, disse:
- Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que isso seja um grande problema para o senhor, mas não me incomoda.
O rato foi até o porco e lhe disse:
- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira!
- Desculpe-me Sr. Rato, disse o porco, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser rezar, e fique tranqüilo que o senhor será lembrado nas minhas preces.
O rato dirigiu-se então à vaca.
Ela lhe disse:
- O que Sr. Rato? Uma ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não!
Então o O rato voltou para a casa, cabisbaixo e abatido, para encarar a ratoeira do fazendeiro.
Naquela noite ouviu-se um barulho, como o de uma ratoeira pegando sua vítima. A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia caído na ratoeira. No escuro, ela não viu que a ratoeira havia prendido a cauda de uma cobra venenosa. E a cobra picou a mulher... O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre. Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja de galinha. O fazendeiro pegou seu cutelo (pequeno facão) e foi providenciar o ingrediente principal.
Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la. Para alimentá-los o fazendeiro matou o porco. A mulher não melhorou e acabou morrendo. Muita gente veio para o funeral. O fazendeiro então sacrificou a vaca, para alimentar todo aquele povo.
Moral da história: na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito, lembre-se que, quando há uma ratoeira na casa, toda a fazenda corre risco, pois diz o ditado: 'O problema de um é problema de todos quando convivemos em equipe"."
Pensando com meus botões, este que a transcreve, quer aqui fazer uma observação: É fato que o "espírito de porco" também virou personagem desta história e, como todos sabem, a cobra é um grande predador de ratos. E se, ao matar a cobra, o fazendeiro tivesse a grande idéia de tirar seu couro para fazer um souvenir. E quando ele a sua barriga descobre dentro dela um rato morto? E aí, como é que fica a moral da história? Aceito sugestões!

Labels:

5 Comments:

Anonymous Márcia(clarinha) said...

Um por todos e todos por um!
[pena que todos não pensem como um :(]

O fazendeiro ganharia um dindinzinho extra se vendesse o souvenir,bobo ele que não soube tirar proveito.
Quanto ao ratinho na barriga da cobra acho improvável, já que de tanto medo sentido saiu da fazendo corrido, se achado fosse seria na barriga da víbora do vizinho.Eca!!

lindo final de semana meu querido amigo
beijos

8:13 AM  
Blogger Ordisi Raluz said...

A moral é comer vegetal, Gafanhoto.

Abraços, com batatinhas fritas e crocantes, hummmmmmm...

:)

3:33 PM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Semana boa!! Muito boa viu?
beijos querido amigo

8:44 AM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Álvaro,
você é tão especial sabia?
Obrigada pelo carinho e saiba que estou em paz e que nossas energias se fundem em respeito e carinho fortalecendo a amizade mesmo que virtual [nosso caso].
Adoro sua filosofia zen, tenho muito que aprender e sobre o desapego, estou praticando amigo, juro que estou.
Pópegar meu abraço apertado, ele é procê, uuuuuuuupa!! ;)
lindo dia,
beijos

10:04 AM  
Blogger ana said...

problema de 1 pode ser o prpblema de todos, pois nunca recuse ajuda a uma pessoas poiis um diia vc precisara e ela ira te ajudar.obrigado bom fim de semana pra vcs!

7:03 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home